Domingo, 22 de Maio de 2022
11°

Tempo aberto

São Bernardo do Campo - SP

Política Doria manda 71%

Doria manda 71% de verbas da região para São Bernardo

Dos R$268,3 milhões destinados, R$191,5 milhões foram para gestão Orlando Morando

19/04/2022 às 16h28
Por: Redação
Compartilhe:
Divulgação
Divulgação

A Prefeitura de São Bernardo, sob comando de Orlando Morando (PSDB), foi amplamente favorecida com investimentos do Estado, durante a gestão de João Doria (PSDB), em relação aos outros municípios da região. O Diário teve acesso a uma lista de obras e valores, confirmada por representantes municipais, que mostra que, dos R$ 268,33 milhões destinados pelo então governador tucano às cidades da região, R$ 191,5 milhões foram apenas para São Bernardo, o que representa 71% do total de recursos.

Não entram na conta investimentos regionais, que não necessariamente foram destinados para uma cidade, mas que beneficiam pelo menos parte do Grande ABC, como é o caso das obras do Piscinão Jaboticabal (R$ 237,9 milhões) e do BRT-ABC (R$ 860 milhões).

Doria deixou o comando do Palácio dos Bandeirantes no dia 31 de março para disputar a Presidência. A destinação de investimentos estaduais para São Bernardo ocorreu, portanto, antes de Orlando virar as costas para Doria e dizer ao Diário que não iria estar na campanha do candidato a presidente do PSDB. Durante os três anos e quatro meses de mandato, Doria veio 12 vezes a São Bernardo.

Entre os investimentos para a gestão de Orlando Morando e que somam os R$ 191,5 milhões estão a construção do Viaduto Estaiado Robert Kennedy, no valor de R$ 120 milhões, revelado com pompas como o maior investimento da gestão Doria a um município. A autorização foi assinada pelo então governador em um ato político em agosto do ano passado, em São Bernardo.

Em segundo lugar vem o município de Ribeirão Pires, comandado por Clóvis Volpi (PL), e que já declarou apoio público à candidatura de João Doria. A cidade recebeu, na gestão anterior, R$ 42,2 milhões. A principal obra com recursos estaduais, e que custará R$ 20 milhões, será um viaduto que ligará a região central da cidade ao Centro Alto. Também houve a liberação de R$ 16 milhões para o término das obras do Hospital Santa Luzia. Os dois anúncios foram feitos em um evento na cidade, com a presença de Doria, em janeiro deste ano. Santo André vem em seguida, com a liberação de R$ 25 milhões para recapeamento e recuperação do sistema de drenagem de trecho da Avenida dos Estados.

Rio Grande da Serra ocupa a quarta posição, com R$ 4,7 milhões de recursos do Estado. O maior valor, de R$ 2,6 milhões, refere-se à terceira fase do parque linear e pavimentação de ruas. Diadema recebeu R$ 3,7 milhões, correspondentes ao repasse mensal de R$ 630 mil à Rede Lucy Montoro. O serviço foi inaugurado em outubro do ano passado. Mauá ficou com R$ 1,15 milhão, sendo R$ 1 milhão para o Bom Prato.

São Caetano não foi contemplada na gestão Doria. Em seu mandato, a cidade foi comandada por José Auricchio Júnior (PSDB), e, durante quase todo o ano de 2021, pelo interino Tite Campanella (Cidadania), atual presidente da Câmara que, recentemente, chamou Doria de “vigarista”.

Questionados, Consórcio Intermunicipal do Grande ABC e Prefeitura de São Bernardo disseram que cabe ao Estado explicar a destinação de recursos. Por nota, o Estado justificou que os repasses “atenderão a toda a região, e não exclusivamente os municípios que firmaram convênio com o governo do Estado”. Também disse que, entre 2019 e 2022, foram celebrados no Grande ABC mais de 50 convênios de infraestrutura urbana, com valor total aproximado de R$ 300 milhões.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários